23


Vinte e nove de janeiro. Dia internacional do mau humor. Do mau humor, da insatisfação, da inveja, da cobiça. Dia daquilo que é movido pelo orgulho, pelo rancor e pela vingança. Dia internacional do que é desnecessário, inadequado, sujo e inapropriado. Dia internacional do trauma, do ciúmes, do olho gordo e dor de cotovelo. Dia da solidão, do muro, dos milhares de conhecidos, dos poucos amigos. Dia da incompreensão, da tristeza, da falta de fé, da falta de autoconfiança, da insegurança, do medo. Dia internacional dos olhos cegos, da razão, da falta de razão, do juízo, da falta de juízo, da hipocrisia, da incapacidade de ficar quieto, da inimizade. Dia da falta de sentimento, do exagero em sentimentos. Dia internacional da fidelidade, do companheirismo. Dia em que pessoas celebram a desgraça alheia. Dia de agradecimentos, daquilo que é vazio. Dia do ombro amigo, dia do desespero, do aconchego, do luto. Dia da felicidade de um casal, de uma família, de uma esperança. Dia internacional da responsabilidade, da falta de responsabilidade, dos porquês, da vontade. Dia do tapa na cara, da decepção, do olhar sincero, do abraço. Dia do arrependimento, da exigência, do comprometimento, do conformismo. Dia da máscara, do sorriso entristecido, da boa política, da má impressão. Dia internacional do frio, da cautela, da cobrança, do ódio, da intolerância. Dia da falta de talento, falta de criatividade, da necessidade em geral. Dia da falta de motivação, do sacrifício. Dia de parabéns, de familiares, de telefone, de Facebook. Dia de presentes. Dia sem presente. Dia da falta de paz. Dia do outono, das folhas que caem, do céu azul e limpo, do vento no rosto, do banco de praça com lugar vago ao lado, do olhar ao horizonte. Dia do “tudo bem sim, e você?” que quase sempre é falso. Dia internacional do coração partido, da desconfiança, da indecisão, do amor não correspondido, de todos os sentimentos não correspondidos, da falta de reciprocidade. Dia da loucura, dia da escrita, do desabafo, do dia-a-dia, dos sermões. Dia do Romário. Dia dos amigos e parentes que nunca falam com você. Dia da crítica, da gula, do descontrole. Dia do isolamento, da dependência, da confusão, incerteza. Dia do bom coração, das boas intenções e da vontade de ser reconhecido. Dia da paranóia, da ausência, da presença. Dia do presente-ausente. Dia da criancice, da bobeira, do xingamento, da briga. Dia do passado, dia do choro, das lágrimas.

Dia internacional dos extremos, da chatice, da bipolaridade. E ainda assim vivo.

Parabéns a você.

Anúncios

Um comentário em “23

Adicione o seu

  1. Gostei muito desse desabafo. Você não deixou escapar nada. Apenas uma ressalva – todos os dias são dias assim, a meu ver.
    Parabéns pelo dia de hoje. Parabéns por todos os seus dias.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: