Silêncio


Quase não aguento segurar. Essa explosão, essa energia, essa impulsão. E nem sei por que. Tudo o que sei é que não controlo e não sei mais a que nível chega. Assumir estar apaixonado é difícil, principalmente depois do que vivi. Mas se estar apaixonado é ver uma foto sua e sorrir só por sorrir, então sim. Se estar apaixonado é imaginar seu rosto a poucos centímetros do meu, olhos nos meus olhos, ambos berrando silenciosamente coisas lindas de se dizer, então sim. Se estar apaixonado é visualizar seu rosto de lado logo após lhe falar algo ao pé do ouvido e lhe arrancar um sorriso lindo como só o seu, então sim. Nossa, como estou e nem me dei conta antes. Ou dei e não queria dar.

É difícil e só quem passou sabe. A superação é uma estrada de pedras afiadas por onde se anda descalço. E faz parte do caminho não só esquecer, mas abrir novas portas. Queria poder dizer que você é uma nova porta pela qual poderia entrar e permanecer. Não sei quanto tempo ficar, não sei se entraria na verdade, mas vontade não me falta mais. Dúvidas tampouco, a não ser por sua parte. E isso me corrói. Arrebenta-me por dentro e faz com que tudo isso que sinto pareça inútil. Uma sensação de impotência. Prova de como amor e ódio podem ser fortes o suficiente para abafar qualquer forma de reação lógica nossa e fracos o suficiente para nem nos mover. Ou forte para nos segurar. Depende do ponto de vista. Como sou pessimista, prefiro o modo fraco.

Mas de tudo guardo em silêncio. Para o momento certo que talvez nem vá existir. Guardo dentro de um lugar onde só eu possa acessar, mas que se me der liberdade e correspondência, você descobriria o tamanho do lugar, o tamanho de coisas lindas que saem de lá, reciprocamente com o que entra. Nada menos que você.

E amanhã você talvez me olhe com seus olhos tão lindos quanto ingênuos por não saber o que os meus estão a lhe dizer. Tenho medo, muito medo de me entregar assim. Nunca fui bom com sentimentos, só com razão. Sempre desprezo qualquer sentimento que venha por parte de mim ou de outros. Mas nem mesmo minha razão pode afirmar ser possível controlar meus impulsos quando esse sentimento surge. Sentimento que subitamente vem. Sem aviso, sem data, sem escolher. Só vem. Ao acaso, assim como pessoas que entram em nossas vidas e não saem. Falo das especiais, das relevantes. Falo das apaixonantes.

Só queria dizer que sinto, embora não vá. Só queria dizer o que sinto, embora não vá. Só queria dizer o quanto sinto, embora não vá. Só queria poder demonstrar o que faço e posso fazer quando sinto, embora não vá. Só queria revelar quem você é, embora não vá. Mesmo.
Só queria te ver agora, te puxar junto ao meu corpo, seu rosto a centímetros do meu, meus olhos fitando os seus tão lindos quanto seu sorriso que surge após uma meia dúzia de palavras ao pé do ouvido. Perceba como essa imagem não sai da minha cabeça. Nunca aconteceu, mas já imagino como seria se acontecesse… E que se estar apaixonado é imaginar coisas que nunca aconteceram, então sim, talvez esteja apaixonado por você.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: